Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médicaca
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
05.07.2012 Dr. Giorgio Trotto

Um homem de mais de trinta anos foi levado à consulta pela mãe por estar “emocionalmente desequilibrado”. Recentemente foi demitido após se envolver em uma briga no trabalho. Na entrevista o paciente mostrou-se desconfiado e pouco cooperativo, além de não ver razão para iniciar nenhum tipo de tratamento. Informou que aceitara comparacer à entrevista apenas para obter um laudo que o considerasse psicologicamente normal, pois não se considerava maluco (sic). O comportamento do paciente não sofreu nenhuma alteração durante o breve período em que veio às consultas. Retirou-se irritado de algumas consultas antes do encerramento das mesmas e, apesar do esfoço da terapeuta em estabelecer um diálogo de cunho reflexivo, este não foi alcançado em nenhum atendimento.

Frente aos sinais de funcionamento mental paranóico e ao insucesso da tentativa terapêutica, foram apresentadas diferentes abordagens técnicas para esse tipo de situação clínica e frisou-se a importância dos diagnósticos fenomenológico e psicodinâmico para se iniciar qualquer tipo de procedimento terapêutico.

retorna