Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médicaca
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
24.11.11 Dr. Giorgio Trotto

Uma mulher de pouco mais de cinquenta anos, duas vezes viúva, foi internada com febre contínua, vômitos e dificuldade de deambular por diminuição na força de um dos membros inferiores. Os exames revelaram ser portadora de AIDS e neurotoxoplasmose, uma infecção oportunista comum nessa doença. Reagiu muito mal à comunicação do diagnóstico: passou a ficar arredia ao contato dos profissionais da enfermaria e assustada com tudo. A paciente voltou a se interagir bem com a equipe da enfermaria, mas ainda não consegue realizar como se contaminou com o HIV, pois além de dizer ser uma mulher séria e quieta, desde a segunda viuvez não teve nenhum contato sexual.

Na discussão do caso apresentado foi consensual tratar-se de uma dificuldade de elaboração do diagnóstico, situação contemplada dentro do tema da comunicação do diagnóstico. Na discussão sobre os elementos psicodinâmicos que poderiam contribuir para a dificuldade apresentada pela paciente surgiram duas hipóteses complementares a serem investigadas durante o acompanhamento psicológico: luto patológico (dos maridos) e distorções na sexualidade.

retorna