Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médicaca
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
09.06.2011 Dr. Decio Tenenbaum
Um homem com pouco mais de 50 anos foi internado devido a feridas pelo corpo decorrente de prurido generalizado. Casado e pai de 3 filhos, seu acompanhamento pela Psicologia Médica foi solicitado porque seu quadro clínico não apresentava a melhora esperada e o paciente era de difícil acesso: tinha uma postura arredia e se expressava de modo confuso. Com a continuidade do atendimento, o paciente revelou fazer uso de bebidas alcoólicas há muitos anos, o que acabou provocando o afastamento da esposa, embora continuem vivendo na mesma casa. Através do relato do paciente ficou evidente a semelhança da vida dele e do pai: ambos foram militares, ambos fazem uso regular e constante de bebidas alcoólicas e ambos tiveram várias amantes. Foi o paciente que, na infância, denunciou a vida extraconjugal do pai para a mãe, provocando a separação do casal. A postura e a forma de se expressar do paciente mudaram em poucas consultas, o que deixou a impressão de que ambas estavam a serviço da resistência dele se tratar, além de evidenciar a ausência de distúrbio do pensamento. O quadro clínico evoluiu favoravelmente depois de iniciado o acompanhamento psicológico e, após apenas 03 consultas, o paciente saiu de alta em remissão sintomatológica.

O primeiro tema discutido foi o possível papel do drama edípico do paciente na patogenia da sintomatologia psicossomática apresentada por ele. Como tem sido observado em casos semelhantes, parece que neste também a tensão edípica não elaborada funcionou como um agente estressor, desencadeando uma reação inflamatória inespecífica e disseminada na pele. Em seguida, os objetivos da Psicologia Médica neste caso foram examinados e, por fim, apenas levantou-se a questão da remissão sintomática do paciente ter ocorrido tão rapidamente e sem acompanhamento farmacológico, apenas através do diálogo.

retorna