Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médicaca
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
24.02.2011 Dr. Abram Eksterman

Uma mulher de pouco mais de 40 anos, mãe de um casal de filhos e divorciada, foi internada para investigação diagnóstica de quadro clínico formado por vômitos, diarréia e manchas avermelhadas na pele. O atendimento psicológico foi solicitado pela equipe de enfermagem por temer que a paciente abandonasse o tratamento. A paciente relatou que os sintomas apareceram 3 meses, durante viagem de passeio longamente programada com seu namorado para visitar a família dele no nordeste. Ela começou a passar mal, com vômitos e diarréia, no segundo dia de viagem. Foi levada para um hospital onde esqueceu de informar que é alérgica desde criança a corante amarelo e a alguns tipos de antibióticos. Após 3 dias de tratamento seu rosto inchou, surgiram as manchas avermelhadas, principalmente nas pernas, e ela ficou muito aflita, com medo de morrer. Com isso, ela e o namorado voltaram para o Rio de Janeiro e ela foi aqui internada. Durante a internação em nosso hospital apresentou um único episódio de vômitos após comer as frutas trazidas pelo namorado.
A paciente separou-se do marido com os filhos ainda bem pequenos devido à maneira rude que o marido a tratava. Os filhos foram criados pelo marido “porque não tinha como sustentá-los” e vivem com ele até hoje. Ela mantém contato principalmente telefônico com eles e se ressente do distanciamento deles, embora o marido a consulte até hoje sobre questões relacionadas aos filhos. A paciente continua internada.
A partir da constatação de que se trata de mais um caso de fracasso no êxito, pois a sintomatologia funcional surgiu justamente no momento em que a paciente estaria realizando um desejo longamente acalentado, procedeu-se ao exame psicodinâmico, o qual evidenciou a ambivalência da paciente como o elemento psicodinâmico mais relevante do caso. Foi observado que a ambivalência, presente em todas as relações da paciente, também estaria presente no esquecimento em informar sobre a própria alergia, pois foi o que provocou a piora do quadro clínico e, consequentemente, a interrupção da viagem e na relutância em se tratar observada pela enfermagem. A discussão foi encerrada após o debate sobre o tipo e os objetivos da atuação da Psicologia Médica nesse caso.

retornana