Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médicaca
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
11.03.2010 Dr. Giorgio Trotto
Um homem branco de sessenta anos, separado, vivendo sozinho em um barraco de chão de terra batida, sem contato com os familiares e os filhos há muitos anos, foi internado para investigação diagnóstica com um quadro de dificuldades em deambular, fraqueza nas pernas e muitas dores lombares. Além disso, também era portador de hiperplasia prostática que o obrigava a usar uma sonda vesical permanentemente.
Ao conhecer sua psicóloga descobriu o corpo para mostrar sua genitália, para ele pequena e motivo de vergonha e sofrimento, e a sonda vesical. Disse estar sendo muito bom para ele estar no hospital devido às dificuldades que enfrenta por viver sozinho e sem trabalhar há quase dois anos. Em seguida, contou alguns eventos de sua infância difícil, vivida longe dos pais em colégios internos porque o pai, enciumado da mãe, resolveu puni-la afastando os filhos dela. Falou sobre maus tratos e abusos, inclusive sexual, que o deixaram muito sensível, inseguro, complexado e explosivo, sempre pensando em suicídio. Seu discurso era confuso e algo pueril; durante a internação apresentou pelo menos um episódio alucinatório, no qual visualizou um mostro peludo, de cara horrenda, que rugia e mostrava os dentes (sic), seguido de pavor noturno. Conseguiu receber razoavelmente bem o diagnóstico de infecção pelo HTLV1 com mielite e saiu de alta para dar continuidade ao tratamento em regime ambulatorial.

O exame do caso apresentado foi iniciado pela discussão da possível etiologia do quadro regressivo do paciente, se psicológica ou neurológica. Em seguida, foi ressaltada a acuidade terapêutica da psicóloga em reorganizar o funcionamento mental do paciente através da construção de um vínculo diádico.

retornana