Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
10.12.2009 Dr. Sergio Almeida
Um homem de pouco mais de cinquenta anos, casado e pai de um filho, foi internado por estar com AIDS, muito emagrecido e apresentar várias infecções oportunísticas como neurotoxoplasmose, tuberculose (LINK) miliar e linfonoidal, sinusite de repetição, além de linfoma. Apresentou vômitos e uma reação alérgica que foram atribuídos aos medicamentos que mal havia começado a usar. Estava irritadiço, querelante e muito queixoso ao internar-se, gerando um clima tenso com a equipe da enfermaria. Seu discurso era superficial e sem emoção. Dizia que sua vida era muito boa e não sabia como tinha contraído a AIDS. A psicóloga que começou a atendê-lo notou que nos primeiros atendimentos permaneceu em pé, só conseguindo sentar-se alguns dias depois. Bem aos pouquinhos o paciente disse que fazia uso regular de bebidas alcoólicas e era farrista, dando pouca atenção à família. Mostrou-se arrependido e conseguiu ter uma longa conversa de reaproximação com o filho. Saiu de alta melhorado, voltou a piorar em casa, mas protelou ao máximo sua reinternação vindo a falecer logo após voltar ao hospital.

Discutiu-se qual seria o objetivo da Psicologia Médica com este paciente. Foi ressaltado que conseguiu-se reverter o quadro de rejeição que o paciente de modo inconsciente estava induzindo na equipe através do seu comportamento, razão pela qual a psicóloga levou algum tempo a conseguir se aproximar dele. Aventou-se a possibilidade de tal comportamento, além dos vômitos excessivos, da reação alérgica ao tratamento e a demora do paciente voltar a procurar o hospital estarem inconscientemente relacionados com um desejo culposo de morrer.

retorna