Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
29.10.2009 Dr. Abram Eksterman
Uma mulher de quase trinta anos, bastante emagrecida, casada e com uma filha de oito anos, foi encaminhada para tratamento ambulatorial com o diagnóstico de anorexia nervosa e história de dois tratamentos psicológicos realizados anteriormente sem sucesso. Há oito anos, grávida de três meses em sua primeira gestação, recebeu o diagnóstico de que seu bebê era anencéfalo. Legalmente obrigada a levar a termo a gestação, após o parto não conseguiu ver sua filha e nem ir ao enterro. Perdeu o interesse pela vida e começou a emagrecer. Um ano depois, deu a luz a uma menina da qual precisou separar-se por oito meses, quando o bebê estava com três meses, porque havia contraído tuberculose pulmonar.
Filha de pai alcoólatra e violento, em sua infância ajudou a mãe a não ser estuprada pelo pai várias vezes, o que sempre resultava em surras. Aos doze anos passou a frequentar a mesma congregação religiosa da mãe e envolveu-se com o pastor. Foi obrigada a mudar de congregação, mas sua mãe nela permaneceu, inclusive “perdoando” o pastor. Poucos anos depois de casada passou a se dedicar a sua Igreja, trabalhando como secretária do pastor e a situação de envolvimento acabou se repetindo, desta vez na forma de uma intensa e muito próxima amizade, despertando ciúmes na esposa do pastor e em seu marido. Com o afastamento do pastor a perda do apetite voltou a se intensificar.
Na discussão do caso, abordou-se, inicialmente, o comprometimento do desenvolvimento da sexualidade da paciente, que confirma a conhecida relação existente entre a anorexia nervosa e problemas no desenvolvimento psicossexual. Em seguida, foi discutida a situação traumática, dificilmente elaborável pela paciente, ocorrida logo no início de sua vida conjugal e o papel defensivo que para ela tem seu erotismo exacerbado. Finalmente, discutiu-se a importância do cuidado na condução do tratamento desta paciente em virtude da intensa depressão mascarada pelo erotismo.

retorna