Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo da Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
27.08.2009 Dr. Decio Tenenbaum
Um homem de quase sessenta anos, casado, foi internado para diagnóstico e tratamento de uma lesão no tórax surgida há um ano. Durante a internação recebeu o diagnóstico de carcinoma espinocelular, que, pelo relato do paciente, parecia ser a menor das suas tragédias. Pessoa de origem humilde e bastante consciente das desigualdades sociais, que veio para o Rio trabalhar ainda muito jovem, aqui se envolveu com uma moça, mas fugiu para outro estado ao ser pressionado por ela a casar. Apresentou alguns episódios de agitação psicomotora e hetero-agressividade justificados como decorrentes de um “trabalho” feito pela ex-namorada e que acabaram por lhe levar a uma internação psiquiátrica. Alguns anos depois trouxe uma moça de sua cidade natal para casar, teve seus quatro filhos, dos quais perdeu dois ainda na primeira infância e exerceu diferentes atividades profissionais, sempre muito consciente das injustiças sociais. Ao chegar à meia-idade foi despedido, ficou alguns anos sem conseguir trabalho, precisou ser ajudado por familiares e acabou tendo que se sujeitar a ser explorado trabalhando sem vínculo empregatício, com baixos salários e em péssimas condições de higiene e moradia. Permanece internado para pesquisa de tumores metastáticos e tratamento.

Por ter conseguido manter sua dignidade pessoal em meio a uma vida marcada pela injustiça e desigualdade, o paciente acabou lembrando o personagem central do livro “Os Miseráveis” de Victor Hugo e a discussão do caso girou em torno dos aspectos contratransferenciais mobilizados nos atendimentos que envolvem miséria, loucura e morte.

retorna