Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo de Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
23.10.2008 Dr. Abram Eksterman
Uma mulher de pouco mais de cinqüenta anos sofreu um espasmo em uma hemiface e internou-se para se submeter a tratamento cirúrgico. Alérgica a conservantes, a paciente apresentou grave episódio alérgico ao se alimentar com refeição fora da dieta recomendada, sua cirurgia foi suspensa e recebeu alta para fazer tratamento de dessensibilização para poder ser anestesiada. Durante sua curta permanência na enfermaria contou as tragédias de sua vida de uma maneira distante e com pouca emoção: tornou-se a filha mais velha de doze irmãos com a morte da irmã mais velha quando tinha um ano; perdeu a mãe, de quem sempre foi muito ligada, recentemente (quinze dias); aos dez anos foi violentada por um tio, episódio que escondeu dos pais e só revelou à mãe pouco antes dela falecer; perdeu o pai (alcoólatra) aos treze anos; precisou fugir com seus filhos de seu marido, que a espancava e, como é muito freqüente em mulheres vítimas de violência sexual, não consegue ter prazer sexual.

A partir do embotamento afetivo da paciente, evidenciado na sua dificuldade de expressar certos sentimentos, discutiu-se o elemento psicodinâmico central, foco do atendimento da Psicologia Médica: a sucessão de maus tratos na vida da paciente. Como foi comum em sua vida, também na enfermaria ela foi maltratada: não recebeu a alimentação adequada, que resultou em uma crise alérgica grave e saiu de alta, do ponto de vista psicológico, precocemente, antes de ter elaborado a experiência de risco de morte que havia acabado de passar. Foi interrogado se não teria ocorrido a indução iatrogênica característica da síndrome de eutanásia, que no caso poderia ser entendida como decorrente do desejo de reencontrar a mãe recentemente falecida.
Por fim, foi lembrado que a alexitimia que Peter Sifneos estudou em pacientes portadores de doenças orgânicas nada mais é do que o mecanismo defensivo de embotamento afetivo que ocorre com muita freqüência em pessoas que viveram ou vivem situações de extrema violência, psicológica ou social.

retorna