Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo de Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
10.07.2008 Dr.Abram Eksterman
Um homem de quase oitenta anos e solteiro foi internado devido a fortes dores lombares acompanhadas de incapacidade de deambular e de sentar com início há dois meses quando o ônibus em que viajava sentado passou por um buraco provocando enorme solavanco no qual o paciente foi lançado para cima caindo em seguida sentado no banco em que estava.
O acompanhamento pela Psicologia Médica foi solicitado porque o paciente se recusava a fazer sua higiene adequadamente, não demonstrava nenhum cuidado com sua aparência pessoal e tinha um relacionamento difícil com a equipe. Durante os atendimentos fez sempre questão de mostrar o quanto era bem relacionado e o que foi pessoa importante no seu meio profissional. Concebia ser atendido apenas pelos melhores médicos, aos quais chamava de “papas da medicina”, sempre enaltecendo e elogiando o hospital e o atendimento que recebia. Por outro lado, irritava-se com certa facilidade quando precisava submeter-se a procedimentos e exames, e ficou muito irritado quando foi informado sobre as possibilidades diagnósticas que estavam sendo investigadas. O paciente continua internado.

Em se tratando de um caso extremo de personalidade narcísica, com uma negação da realidade quase psicótica, idéias de grandeza e uso intenso do mecanismo de idealização, foram discutidas tanto as dificuldades de abordagem deste tipo de paciente quanto a necessidade do trabalho conjunto com a equipe da enfermaria devido ao fato de que a psicodinâmica do paciente inconscientemente induzia, contratransferencialmente, sentimentos de rejeição na equipe da enfermaria.

retorna