Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Resumo de Reunião Clínica
 
 Data Supervisora
08.05.2008 Dra. Anna Sanders Quental
Uma mulher de pouco mais de trinta anos foi internada para tratamento cirúrgico de um angioma cavernoso cerebral. Perdeu o pai aos três anos, atropelado por um caminhão, e a mãe, alcoólatra, morreu de cirrose hepática, quando a paciente estava com sete anos de idade. Foi morar com uma avó e esta a mandou para a casa de um tio quando a paciente começou a apresentar crises epileptiformes do tipo grande mal e de ausência. O tio também a expulsou de casa e ela passou a viver com diferentes parentes até acabar morando na rua. Já esteve internada em hospital psiquiátrico para tratamento de epilepsia e há pouco mais de cinco anos uma mulher se aproximou se ofereceu para cuidar dela. Desde então vive na casa desta mulher, que foi quem a trouxe para a internação. Logo após iniciado o acompanhamento psicológico, a paciente começou a apresentar episódios de agressividade. O acompanhamento foi interrompido, a paciente foi psiquiatricamente medicada e a cirurgia foi adiada para ela se submeter primeiro a um tratamento psiquiátrico para controlar os episódios agressivos.

Discutiu-se inicialmente a dificuldade da equipe lidar com pacientes que apresentam distúrbios de comportamento, principalmente quando do tipo agressivo. Em seguida, abordou-se o diagnóstico diferencial entre sintomas comiciais, histéricos e psicóticos. Finalmente, o tema da construção e da especificidade do vínculo terapêutico foi debatido com profundidade.

retorna