Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

 

Resumo de Reunião Clínica
 
 Data Supervisora
20.09.2007 Dra. Anna Sanders Quental

Uma mulher de quase trinta anos, portadora de febre reumática desde os nove anos sem nunca ter feito tratamento de forma regular, foi internada por descompensação cardíaca devido à insuficiência valvar. Para ter uma sobrevida mais longa precisa trocar duas das quatro válvulas cardíacas. Mãe solteira desde os dezesseis anos, com uma relação difícil com sua mãe e irmãs, começou a engordar após o parto e hoje sofre de obesidade mórbida. Apesar de inúmeros tratamentos, nunca conseguiu emagrecer e agora precisa perder peso para poder ser operada e sobreviver. Inicialmente indisposta com sua médica, a quem considerava dura e grossa e com medo de morrer na cirurgia, com o acompanhamento psicológico a relação com a médica melhorou, a paciente aderiu ao tratamento e conseguiu perder vinte dos cento e quarenta e sete quilos que pesava. Cardiologicamente compensada e um pouco mais magra, recebeu alta para continuar a dieta em casa e assim poder ser operada.

Diante da gravidade, orgânica e mental, do caso, discutiu-se que o caminho para se alcançar o objetivo de inserir esta paciente no campo terapêutico passa pela melhora do vínculo da paciente com a equipe, uma maior consciência da doença, elaboração das fantasias autodestrutivas que a impedem de seguir um tratamento corretamente e diminuição do lucro secundário que a paciente tem com sua doença e que envolvem a auto-estima e as relações sociais da paciente.
No final da reunião foram abordados os aspectos orais presentes na relação da paciente com a mãe e com a alimentação.