Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

 

Resumo de Reunião Clínica
 
 Data Supervisor
30.08.2007 Dr. Decio Tenenbaum

  

Um homem de sessenta anos, portador de Doença de Grower, vem sendo acompanhado em regime ambulatorial pela Dermatologia e pela Psicologia Médica. Muito aflito com sua doença e com a não melhora da sintomatologia, constituída essencialmente de prurido nas áreas afetadas, vinha tendo um comportamento insistente, querelante e irritadiço com a equipe médica, já tendo inclusive sido mudado de médico por conta deste seu comportamento (vide 03.05.07). Queixava-se de tudo e de todos, principalmente da falta de atenção de seus familiares, pelos quais se sentia isolado, e dos médicos. Tinha a mesma atitude com a psicóloga: queixava-se da pouca atenção recebida por ter pouco tempo para falar, sempre exibia suas lesões que não melhoravam e tinha grande dificuldade em aceitar o término das sessões, as quais eram tomadas pelo tema da não melhora de sua doença. Apesar do receio de piorar, resolveu viajar para visitar a mãe, muito enferma e bastante idosa, por medo de também dela não conseguir se despedir, como ocorrera na doença e morte do pai. E voltou com significativa melhora sintomatológica. O prurido e as lesões dermatológicas praticamente desapareceram e seu estado de humor modificou: muito menos ansioso, nada irritadiço e nem querelante. Desde que voltou da viagem está se reaproximando das filhas. O receio de que suas dificuldades sexuais (ejaculação precoce) o impeçam de encontrar uma nova companheira tem sido o tema mais presente em suas sessões.

 

Na discussão do caso, inicialmente ressaltou-se a significativa melhora somática e psicológica do paciente com a visita à mãe: diminuída a ansiedade edípica relativa à perda da mãe, houve diminuição do estresse levando à remissão da sintomatologia. Com a diminuição da ansiedade, outros temas se apresentaram à consciência, e o primeiro deles foi o relativo às dificuldades na esfera da sexualidade. Embora ainda não tenham sido elucidadas as circunstâncias do adoecimento, surgiram indícios de que a provável crise existencial iniciada há quatro anos, no bojo da qual apareceram os sintomas dermatológicos e o quadro ansioso, tem relação com o possível início da andropausa. O fato de a sexualidade ter se tornado um problema patogênico para o paciente confirma, mais uma vez, a estreita relação entre certas doenças dermatológicas, como a alopecia, o vitiligo, o prurido generalizado e a psoríase, e conflitos na esfera da sexualidade.

Os aspectos contratransferenciais relacionados ao tipo peculiar de transferência amorosa com marcantes traços orais presentes no caso também foram discutidos.