Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica
Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

 

Espaço de Segurança
 

Definição:

A partir dos estudos sobre o comportamento animal fornecidos pela etologia sabemos que inúmeras espécies precisam deste espaço para realizar as quatro atividades biológicas básicas: alimentação, excreção, repouso e reprodução.

Cada espécie constrói e mantém esse espaço de uma maneira. Nos seres humanos esse espaço é predominantemente psicológico, construído e mantido a partir dos vínculos afetivos construídos nas relações significativas. O campo transferencial é o correspondente psicológico do espaço de segurança biológico.

 

 

Histórico

Considera-se que os estudos etológicos foram iniciados por Konrad Lorenz (1903-1989), honrado com o premio Nobel em Medicina em 1973 juntamente com Nikolaas Tinbergen (1907-1988) e Karl von Frisch (1886-1982). Lorenz foi agraciado com o premio por seus estudos sobre o aprendizado animal, durante o qual criou o termo imprinting para descrever um tipo especial de aprendizado que ocorre muito precocemente em animais e humanos; Tinbergen, por seus estudos sobre o comportamento animal e Frisch, por seus estudos sobre a dança das abelhas.
O espaço de segurança nos seres humanos é estudado pela proxêmica ou proxemia, disciplina criada pelo antropólogo Edward T. Hall (1914-2009) para estudar o espaço subjetivo que envolve cada ser humano e o separa dos demais.

 

Clínica:

A criação e manutenção da relação terapêutica como um espaço de segurança é fundamental para a estruturação do vínculo terapêutico e é o que possibilita a ocorrência das transformações psicológicas advindas do processo terapêutico.

A perda ou a ausência do espaço de segurança é um importante agente estressor para o organismo.

Alterações do ritmo de sono e do ritmo intestinal em viagens são exemplos comuns de perda ou ausência do espaço de segurança na vida cotidiana.

retorna